Você não voltou

Eu esperei

Ia dizer que chegou cesta

Nova

Ia dizer pro defensor 

Como você estava preocupado com a multa

Que queria continuar a vida

tinha me dito,

Thiago 

Te esperei 

Pra juntos contarmos à justiça

Que se não tem dinheiro pro tênis 

Quem dirá pra multa 

“De chinelo não pode entrar lá, dona”

E olhava pro chinelo surrado

Sujo

Como a roupa toda que vestia

Eu sei que você é asseado 

É que sabão em pó não limpa

Miséria

Esperei pra contar pro juiz 

Como apesar da vida dura

Há em você ainda

Doçura

Deve ser do tempo em que era criança 

E vender pano no sinal

Era só um jeito de ficar na barra da saia 

da Vó

Será que você sabe como é

Bonito

Com seus cabelos negros e sobrancelhas 

Espessas?

Andei aflita pelos corredores gelados da

Escola

Te esperei 

Mas você não voltou 

Te escrevo

Thiago

Porque queria te abraçar 

Te escrevo 

Te escrevo porque mereces 

Pelo menos a

Dignidade 

Da poesia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s